[Resenha] E Não Sobrou Nenhum

terça-feira, dezembro 15, 2015

Título: E Não Sobrou Nenhum
Título Original: And Then There Were One
Autora: Agatha Christie
Editora: Editora Globo
Ano: 2011
Páginas: 384
Nota: 


     Sempre fico ansiosa ao começar a ler uma obra da Rainha do Crime, e não foi diferente com E Não Sobrou Nenhum. Só que, devo dizer, esperava ficar mais surpresa com o desfecho dessa história. Não que eu o tivesse adivinhado, porque na verdade eu nunca consigo adivinhar, mas não sei... acho que não fiquei tão entusiasmada porque, nesse enredo, não havia um personagem detetive, como Hercule Poirot, então a revelação final foi feita de um modo diferente, e pra mim não foi tão emocionante.
     Mas, enfim, vamos falar sobre a história. 10 pessoas são convidadas, através de cartas, a irem passar um "período de férias" na Ilha do Soldado, recentemente comprada - segundo boatos - por U. N. Owen. E esse tal Senhor Owen, junto com sua suposta esposa, é que escolhe seus hóspedes e os convida para ir até lá (os primeiros capítulos do livro são destinados a quase todos os hóspedes, apresentando-os ao leitor e citando as cartas e os motivos que os levaram a aceitar o convite). Passadas algumas páginas, as pessoas enfim chegam à casa da Ilha, sendo recebidos com a informação de que os anfitriões demorariam a chegar.
     Antes do jantar, então, os 10 hóspedes vão para seus quartos guardar os pertences, e uma, Vera Claythorne, repara em um poema de criança que estava colocado em cima de sua lareira (e nos quartos das outras pessoas também):

"Dez soldadinhos saem para jantar, a fome os move;
Um deles se engasgou, e então sobraram nove.
Nove soldadinhos acordados até tarde, mas nenhum está afoito;
Um deles dormiu demais, e então sobraram oito.
Oito soldadinhos vão a Devon passear e comprar chiclete;
Um não quis mais voltar, e então sobraram sete.
Sete soldadinhos vão rachar lenha, mas eis
Que um deles cortou-se ao meio, e então sobraram seis.
Seis soldadinhos com a colmeia, brincando com afinco;
A abelha pica um, e então sobraram cinco.
Cinco soldadinhos vão ao tribunal, ver julgar o fato;
Um ficou em apuros, e então sobraram quatro.
Quatro soldadinhos vão ao mar; um não teve vez,
Foi engolido pelo arenque defumado, e então sobraram três.
Três soldadinhos passeando no zoo, vendo leões e bois,
O urso abraçou um, e então sobraram dois.
Dois soldadinhos brincando ao sol, sem medo algum;
Um deles se queimou, e então sobrou só um.
Um soldadinho fica sozinho, só resta um;
Ele se enforcou,
E não sobrou nenhum."

     Vera, então, acha legal o poema, pois fala de soldadinhos, e eles estão na Ilha do Soldado. Porém, mais tarde, na hora do jantar, há uma revelação feita por uma voz desconhecida, vinda de um lugar desconhecido, que deixa todos apavorados. E, após um momento de desespero, há a primeira morte...
     A princípio, por engasgamento.
     No dia seguinte, um hóspede não acorda.
   E é a partir disso que as oito pessoas leem o poema novamente e percebem uma incrível coincidência entre as duas mortes e os quatro primeiros versos... Será?
    Gente, esse enredo não é incrível? Achei super envolvente e desafiador, e foi capaz de me prender à leitura da primeira à última página. É em terceira pessoa, com narrador onisciente, e foi bem louco poder ler cada pensamento que se passava pela cabeça dos personagens. Ah, e fiquem tranquilos quanto ao que eu disse sobre a história, não soltei nenhum spoiler. Fiquem à vontade pra desvendar o mistério que circunda a Ilha do Soldado e tentar adivinhar o desfecho do livro.
     Então, mais uma vez, Agatha Christie mostra porque é considerada uma autora imune à passagem do tempo, e porque suas obras são lidas até hoje por pessoas de diferentes idades. E Não Sobrou Nenhum é um livro maravilhoso, não-convencional, e que me surpreendeu de maneira positiva. Ainda estou pra ler alguma história da Agatha que me decepcione - se é que isso um dia vai acontecer.
     Portanto, se você aí que está lendo minha resenha se interessou pelo livro, tenha certeza de que a leitura dele não será decepcionante. Não só esse, como todos da autora, são incríveis e merecem ter a chance de serem lidos por todos os leitores do mundo, que com certeza os adorarão e reservarão um espaço especial pra eles na estante. Enfim, LEIAM ESSE LIVRO!

You Might Also Like

12 carinhos.

  1. A primeira vez que li esse livro o titulo brasileiro era "O caso dos 10 negrinhos", e em vez de soldadinho eram "negrinhos" no poema (muito tenso), adorei a tradução mais ao pé da letra, ficou muito melhor.
    Adoro a Agatha, é uma leitura bem gostosa <3
    fairyfromerin.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Eu sabia que o título anterior era esse, mas não sabia que tinham mudado o poema também... Mas concordo que ficou melhor com "soldadinhos", por causa da relação com o nome da Ilha e com as caracterizações que o narrador fazia.
      Beijos!

      Excluir
  2. Oi!
    Eu tenho uma coleção de livros da Agatha e tudo que é escrito por ela é maravilhoso! Esse já vai entrar pra minha lista dos que quero muito ler <3
    Beijos,

    Borboletas de papel Ƹ̴Ӂ̴Ʒ

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Eu peguei esse livro pra ler uma vez na bibliotca, mas tinha tanta poeira (e eu alérgica) que não consegui prosseguir com a leitura. Mas ainda quero cohecer a escrita da autora.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que pena! Mas você vai ter outra oportunidade, tenho certeza. O livro é ótimo!
      Bjs

      Excluir
  4. Olá!
    Ainda não li nada da Agatha por não saber por onde começar. Não sabia da existência dessa obra dela e agora estou super curiosa para saber mais sobre ela então com toda certeza vou ler!

    http://whoisllara.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      O primeiro livro que li dela foi "Assassinato no Expresso do Oriente", e ficou sendo o meu preferido por muito tempo. Mas, olha, não importa qual você leia primeiro, você vai gostar, tenho certeza!
      Beijos

      Excluir
  5. Oi, Maria Alice!
    Bem, até agora eu só li coletâneas de contos da Agatha. Nenhum romance de fato. Pretendo ler os livros dela em ordem cronológica... e estou bem curioso pra chegar nesse!
    Gostei bastante da sua resenha.

    Abraços,
    http://entreserieselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Plínio!
      Os contos também são ótimos, mas ainda prefiro os romances, hehe. São mais emocionantes.
      Obrigada!
      Abraços

      Excluir
  6. Oi Maria Alice!
    Eu sou fã incondicional da Agatha e esse é, de longe, o meu livro favorito dela. Genial, né?
    Só não gosto desse novo título.
    E você tem toda a razão: Agatha é imune à passagem do tempo ;)
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mariana! Haha, eu também sou super fã.
      O meu favorito dela é "O assassinato de Roger Ackroyd"! E esse também é ótimo (assim como todos os outros).
      Beijos!

      Excluir

Deixe um comentário, ele é importante pra nós. Mas primeiro, leia o post, por favor!

Obrigada!