Galera Record

#Livros do Mês! - Junho

segunda-feira, junho 30, 2014

Olá pessoal! Mas um mês chegou ao fim, e depois de tantas provas e dificuldades enfrentadas, venho aqui mostrar os livros lidos no mês de junho! Foram poucos mas foram bons hehe.



 Nick e Norah

1- Nick&Norah
O que pode acontecer quando dois adolescentes se conhecem por acaso em um caótico show de punk rock? Eles se apaixonam, é claro. Depois de um beijo, Nick e Norah vivem uma aventura pelos bastidores de NYC - um encontro repleto de alegria, ansiedade, confusão e entusiasmo, como deve ser a primeira vez.


A Seleção


2- A Seleção
Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças de dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. 


A Elite

3- A Elite
A Seleção começou com 35 garotas. Agora restam apenas seis, e a competição para ganhar o coração do príncipe Maxon está acirrada como nunca. Só uma se casará com o príncipe Maxon e será coroada princesa de Illéa. Quanto mais America se aproxima da coroa, mais se sente confusa. 

 A Escolha

4- A Escolha
A Seleção mudou a vida de trinta e cinco meninas para sempre. E agora, chegou a hora de uma ser escolhida. America nunca sonhou que iria encontrar-se em qualquer lugar perto da coroa ou do coração do Príncipe Maxon. Mas à medida que a competição se aproxima de seu final e as ameaças de fora das paredes do palácio se tornam mais perigosas, América percebe o quanto ela tem a perder e quanto ela terá que lutar para o futuro que ela quer. 


Contos da Seleção: O Príncipe & O Guarda

5- Contos da Seleção
Em O Príncipe e O Guarda, o leitor pode acompanhar de perto os pensamentos e emoções dos dois homens que lutam pelo amor de America Singer, além de extras sobre a trilogia. 


Então pessoal, esses foram meus livros lidos no mês. Qualquer dúvida, recomendação ou outra coisa, deixe nos comentários! Beijos!
LEIA MAIS... »

Book trailer

[Book trailer] Estilhaça-me

sexta-feira, junho 27, 2014

Olá galerinha 
Estou sem tempo de fazer algo mais complexo hoje, como uma resenha ou uma tag, então resolvi postar um book trailer de Estilhaça-me, de Tahereh Mafi, publicado pela Novo Conceito. Eu ainda não li o livro, então devo dizer que fiquei mais curiosa do que já estava em relação a ele.
Aproveitem!




Espero que tenham gostado do vídeo, hehe.
Beijinhos e tchau! 
LEIA MAIS... »

Coluna

O que eu penso sobre... A Seleção

quarta-feira, junho 25, 2014

Olá pessoal! Quem me acompanha no Instagram sabe que eu, Natália, passei essa semana lendo a trilogia (ou não) A Seleção. E nossa, esses quatro livros me trouxeram tantas emoções que eu não tenho nem palavras. Nossa antiga blogueira Khatherine já havia postado uma resenha sobre A Seleção (se quiser ler a resenha, e os detalhes da história, clique aqui); minha intenção não é fazer uma resenha aqui, porque hoje eu quero desabafar, contar tudo o que aconteceu desde o momento que comprei esses livros maravilhosos até o momento que acabei. Hoje vou postar um desabafo hehe. Prometo não postar spoilers, caso alguém ainda não tenha lido, então vamos lá. 


Quando recebi meu salário, peguei dinheiro para comprar Harry Potter, porque eu quero MUITO ler HP. Mas cheguei na loja e não tinha então fui pra livraria, e depois de um passeio por aquele pedaço do paraíso, acabei com A Seleção, A Elite, A Escolha e Contos da Seleção nas mãos - como se fossem ímãs, que foram levados as minhas mãos com um passe de mágica. Eu sentia vontade de lê-los, mas tinha outros livros na frente da lista... Então depois de alguns dias, comecei a ler A Seleção e cada palavra me puxou pra dentro e aí já era, estava apaixonada! Kiera Cass escreveu a segunda melhor "série" na minha opinião. Cada palavra, cada frase, transmitia uma porção de sentimentos e eu não conseguia parar de ler. Logo no início, a história me puxou pra dentro e eu já estava me sentindo a própria America. Meu coração parava nos momentos mais tensos, eu prendia a respiração quando estava nervosa, chorava nos momentos que a America chorava e ria quando ela se divertia. Até parecia que era eu que estava lá dentro do livro hehe.



Esses livros mudaram minha vida. Nunca mais um botão, um pote com moedas, chicotes, coroas, vestidos, cartas, joias, fotos, cicatrizes serão a mesma coisa. Tudo terá um sentido por trás, e acho que amo essa ideia.
Amei o Aspen, odiei o Aspen, odiei o Maxon, amei o Maxon, quis bater na cara dos dois, dar um tiro no rei Clarkson, estapear a Celeste, a Kriss, a Elise, quis proteger a Marlee, bater na Lucy, ter uma irmã como a May, matar o Kota, e principalmente socar a cara da America, porque ela conseguiu me tirar do sério muitas vezes. Ela complicava as coisas mais simples, fazia cada burrada, e acho que foi por isso que eu me identifiquei tanto com elas (às vezes também sou muito impulsiva). E como disse seu pai, America é uma garota boa. Imperfeita, mas boa. E eu a amei por isso também. Apesar das dificuldades, ela não perdia sua coragem, muito menos perdia seu caráter - não se importou tanto com o que pensavam dela e fez o que acreditava que era certo. Foi contra as regras, as leis, o rei, mas mesmo assim fazia o que achava que era pra ser feito.
Mal terminei um livro e já comecei o seguinte, porque é impossível parar. Eu me senti completamente apaixonada pelo Aspen, e pelo Maxon (principalmente quando li Contos da Seleção, que traz dois contos pelo ponto de vista do Aspen e do Maxon). Eu sempre achei que príncipes fossem uns babacas, mas depois de conhecer o Maxon, ah o Maxon, eu quis um príncipe pra mim. Sua devoção, seu carinho, me deixou boquiaberta, me deixou com vontade de ter um amor assim - que não desiste de lutar. Mas príncipes não existem, por isso eu também aceito guardas como Aspen, corajosos, lutadores, batalhadores. No início eu era team Aspen, porque o Aspen já tinha um laço com a America que eu acreditava ser impossível de desfazer. Mas agora eu também sou team Maxon, porque no final de tudo, ele é O cara perfeito, não tem como não se apaixonar. E também não tem como escolher entre um e outro.


"Descobri que sou um completo fracasso em ficar longe de você. Um problema muito sério." (A Elite)

A única coisa que não me agradou muito foi como A Escolha foi escrito. Foi perfeito? Foi, sem dúvida nenhuma. Mas tudo aconteceu muito rápido. Claro que ela não precisava fazer um livro com 700 páginas, mas achei muito corrido. Muita coisa importante aconteceu em 350 páginas, e no final me deu até um desespero - eu quero mais!!!!!!
Não consegui ler sem comparar um pouco com Jogos Vorazes e Divergente. Há sim algumas semelhanças, não nos fatos em si, mas em alguns detalhes que creio que não foram propositais, o que não importa muito porque A Seleção é realmente MUITO BOM. Kiera Cass fez uma obra magnífica! Além do conteúdo ser maravilhoso e altamente emotivo, adorei os agradecimentos (muito originais) e as capas são perfeitas! O que são aqueles vestidos e aquelas mulheres lindas????  Acho que no Contos da Seleção devia ter o Maxon e o Aspen para termos uma ideia de suas belezas hehe <3
Só sei que agora que tudo acabou, vou rezar para Cass escrever mais alguma coisa, chorar por não ir na Bienal e não conhecer essa rainha, entrar em uma depressão pós-leitura e recomendar A Seleção pra todo mundo!




Se você leu, deixe nos comentários o que você achou da história (preciso conversar com pessoas que me entendem, por favor) ou então qualquer outra coisa que você queira! Obrigada por chegar até aqui e leia A Seleção, se você ainda não fez isso!
LEIA MAIS... »

Maria

[Resenha] Convergente

segunda-feira, junho 23, 2014

Convergente, de Veronica Roth, publicado pela Rocco Jovens Leitores, com 528 páginas.


"Existem tantas maneiras de ser corajoso neste mundo. Às vezes, coragem significa abrir mão da sua vida por algo maior do que você ou por outra pessoa. Às vezes, significa abrir mão de tudo o que você conhece, ou de todos os que você jamais amou, por algo maior. Mas, às vezes, não. Às vezes, significa apenas encarar a sua dor e o trabalho árduo do dia a dia, e caminhar devagar em direção a uma vida melhor. Esse é o tipo de coragem que preciso ter agora."


A sociedade baseada em facções, na qual Tris Prior acreditara um dia, desmoronou - destruída pela violência e por disputas de poder, marcada pela perda e pela traição. Portanto, diante da chance de explorar o mundo além dos limites que ela conhecia, Tris não hesita. Talvez, assim, ela e Tobias possam ter uma vida simples e nova juntos, livres de mentiras complicadas, lealdades suspeitas e memórias dolorosas. No entanto, a nova realidade de Tris torna-se ainda mais alarmante do que aquela deixada para trás. Antigas descobertas rapidamente perdem o sentido. Novas verdades explosivas transformam os corações daqueles que ela ama. Então, mais uma vez, Tris é obrigada a compreender as complexidades da natureza humana enquanto convergem sobre ela escolhas impossíveis que exigem coragem, fidelidade, sacrifício e amor.
Narrado sob uma emocionante perspectiva dupla, Convergente conclui de maneira poderosa a série que alcançou o primeiro lugar na lista de best-sellers do New York Times, na qual Veronica Roth revela os segredos do mundo distópico que cativou milhões de leitores com Divergente e Insurgente.


Pra começar: POR QUE RAIOS A VERONICA FEZ AQUILO NO FINAL DESSE LIVRO? Sim, muitos sabem o que acontece, até quem não leu, mas não vou falar explicitamente. Me deram esse spoiler antes mesmo de eu começar a ler Divergente, e eu fiquei muito frustrada, e não vou fazer isso com quem ainda não sabe da história e quer muito lê-la.
Mas então... Acho que um dos motivos de eu ter demorado dois meses (sim, dois meses) pra ler esse livro foi esse maldito spoiler. Eu não sabia como acontecia, mas eu sabia o que acontecia, e eu fiquei enrolando e enrolando e enrolando (...) pra chegar no final. Mas cheguei, graças a Deus, e confesso que me decepcionei. Mas deixe-me voltar um pouco...
Quando eu comecei a ler Convergente, eu tava cheia de expectativa com o livro por causa do final de Insurgente, e isso deve ter atrapalhado um pouco a minha leitura. Tipo, o desfecho que a autora deu pra trilogia não é horrível, mas acho que podia ter sido melhor. Você passa os dois primeiros livros pensando uma coisa, aí chega no terceiro e a sua reação é como se você tivesse acabado de descobrir que Papai Noel não existe. Isso me deixou muito abalada, mas continuei lendo, mesmo que devagar, e eu continuei achando a história meio sem pé nem cabeça. Há quem diga: "é uma distopia, queria o quê?", mas mesmo assim cara... Não me julguem, deixem eu expressar minha frustração, ok? Valeu.
Foi mais ou menos nas páginas mediais que eu comecei a sentir aquela tensão, aquela vontade de querer terminar de ler a história, e foi aí que eu me prendi à leitura. Foi acontecendo uma coisa atrás da outra, não deu tempo nem de respirar, e enfim cheguei à parte que fez e ainda vai fazer muitos leitores se debulharem em lágrimas. Como eu disse anteriormente, me decepcionei. Foi tudo muito rápido, como se aquilo não tivesse importância... Mas mesmo assim chorei feito um bebê indo pra creche pela primeira vez. Chorei de tristeza, mas principalmente de raiva (da Veronica). Por fim, quando terminei de ler as últimas páginas, pensei em como tudo podia ter sido diferente, em como a autora podia ter escrito um final menos triste. Mas tudo bem, já superei.
Bem, até aqui, falei mais mal do que bem do livro, então vou elogiar pra não parecer que eu odiei o final da saga. (Até porque eu gostei, não foi um desfecho forçado, e Divergente é uma de minhas séries favoritas.): Além de apaixonante, essa obra é enérgica, não há um momento em que você se sinta entendiado ou algo do tipo, muito pelo contrário. A escrita da Roth é ótima, não abre espaço pra confusões entre nomes, expressões, e eu espero sinceramente que ela e continue escrevendo histórias cativantes e únicas pra eu poder comprar e devorar, hehe.
E finalmente, tendo feito uma resenha em que eu descarreguei toda a minha frustração com a morte de uma certa personagem, termino recomendando Convergente a quem já leu os dois primeiros livros e gostou; quem ainda não leu e está curioso pra ler; e principalmente, pra quem gosta de enredos envolventes e surpreendentes.
Beijo e tchau!
LEIA MAIS... »

Farol Literário

[Resenha] Morra Por Mim

sexta-feira, junho 20, 2014

Morra Por Mim, da Amy Plum, publicado pela editora Farol Literário, com 423 páginas.



"Somos todos almas perdidas. É uma coisa boa que tenhamos uns aos outros".



Minha vida sempre foi repleta de alegria e normalidade. Mas foi preciso apenas um acontecimento para que tudo mudasse para sempre. De forma inesperada, eu e minha irmã ficamos órfãs. Tudo virou de ponta-cabeça e nos mudamos para Paris para viver com nossos avós. Eu sabia que meu coração estava despedaçado, assim como minha vida, e que eu poderia nunca mais me sentir bem novamente. Então conheci Vincent. Misterioso, sexy e incrivelmente charmoso, Vincent Delacroix apareceu do nada e me tirou da realidade. Agora eu tinha uma chance de me refazer. Mas é claro que nada é assim tão fácil. Porque Vincent não é como os outros humanos. Ele tem um destino terrível, está predestinado a colocar sua vida em risco todos os dias. E Vincent também tem inimigos... imortais, assassinos que estão determinados a destruir a ele e toda humanidade. Enquanto luto para reconstruir o que resta da minha vida, como poderei colocar em perigo minha família e meu coração por uma chance de ser amada?



Eu já tinha ouvido falar desse livro, e em uma viagem, quando entrei pela primeira vez numa loja Saraiva, eu encontrei-o e comprei-o <3 Minha felicidade durou até eu descobrir que ele pertence a uma série. Sim, uma série. E no Brasil, só temos o primeiro e acabei de ver que o segundo já foi lançado (quando eu acabar essa resenha, vou correr comprar hehe).
Então, depois de dois meses largado na minha estante, em uma outra viagem onde eu não teria acesso a internet, eu levei ele junto e li em 3 dias e me apaixonei. Não me importa que o 3º e o 4º livro vão demorar para ser lançados aqui, eu vou esperar porque esse livro vale a pena.
Morra Por Mim conta a história de Kate, uma garota que inesperadamente, ficou órfã e teve que se mudar para Paris, para morar com sua irmã e seus avós. Deprimida, Kate, que não consegue superar a perda de seus pais, queria ficar sempre sozinha lendo em seu quarto, e um dia, quando sua irmã manda ela pelo menos ler um livro ao ar livre, Kate conhece Vincent. Um cara lindo, misterioso, charmoso, perfeito, mas que não é um cara comum. Ele tem poderes sobrenaturais, e nos mostra um mundo misterioso, assustador, e perigoso que enfrenta todos os dias... Eu até diria o que é e tudo e tal, mas ai tiraria toda a graça da leitura de vocês...

Amy Plum nos traz um mundo inovador e muito diferente do que estamos acostumados, como lobisomens e vampiros, e essas coisas. E eu acho que esse é o ponto mais forte desse livro: ele é uma obra original. A história, narrada em primeira pessoa, nos suga pra dentro do livro, e nos deixa com vontade de se juntar à Kate, na tentativa de descobrir tudo sobre Vincent.
Impossível ler esse livro sem se apaixonar e ter MUITA vontade de entrar dentro e beijar o Vincent. Eu acho que a Plum deveria ganhar um prêmio, porque a obra é muito bem escrita, e muito bem elaborada. Palavras fáceis de serem entendidas, mesmo quanto estão em francês. Personagens e contexto deslumbrantes, apaixonantes e incríveis. Tudo se encaixa de um modo perfeito, o que faz de Morra Por Mim um livro maravilhoso. Recomendo à  todos que gostam de um romance diferente e de personagens sobrenaturais!

Livro 2 - Versão Brasileira


Livro 2 - Versão dos Estados Unidos

Livro 3 - Versão dos Estados Unidos
Livro 4 - Versão dos Estados Unidos
LEIA MAIS... »

Maria

Tag: Hábitos literários

quarta-feira, junho 18, 2014

Olá, leitores! Fiquei com vontade de fazer uma tag, aí fui dar uma olhadinha nos blogs que eu sigo e acabei achando uma bem legal, no blog Pausa para os livros. São apenas 7 perguntas, então vamos lá:

Quando você lê? (manhã, tarde, noite, o dia inteiro ou quando tem tempo)
Pra falar a verdade, eu leio em qualquer horário, mas prefiro ler de madrugada por causa do silêncio, da calmaria, enfim... 

Você lê apenas um livro de cada vez?
Sim. Já tentei ler mais de um livro ao mesmo tempo, mas acabei confundindo um pouco as histórias e me atrapalhando com os personagens. Quando eu estou lendo um livro bom, quero saber o final dele logo e aí começo a ler e ler e ler sem parar, então prefiro focar em um enredo só.

Qual seu lugar favorito para ler?
Não tenho um lugar favorito, hehe. Eu leio na cama, no sofá, no chão, na cadeira, em pé... Onde der.

O que você faz primeiro: lê o livro ou assiste ao filme?
Leio o livro primeiro, claro! Ele é sempre melhor que o filme. Tá, eu sei que existem adaptações cinematográficas de livros que são ótimas, mas nenhuma supera a história escrita, que é bem mais completa.

Qual formato de livro você prefere? (áudio-livro, e-book ou livro físico)
Livro físico. Sempre. Não gosto de áudio-livro porque detesto que leiam pra mim, e e-book, apesar de ser mais barato e prático, não se compara a um livro físico, que dá pra cheirar, beijar, admirar, segurar, e tudo o mais.

Você tem algum hábito exclusivo ao ler?
Bem, eu sempre faço aquele ritual básico:
  1. Admirar a capa
  2. Cheirar o livro
  3. Ler a sinopse
  4. Ler as orelhas
E aí sim eu começo a ler a história, haha.

As capas de uma série tem que combinar ou não importa?
Acho bem mais bonito quando o modelo é o mesmo, mas não ligo se não combinarem. Mas também não pode ser aquela coisa totalmente diferente, porque senão fica bem estranho (e ridículo).


Então é isso, indico a tag pra todo mundo, quem quiser fazer, tá valendo!
Xoxo
LEIA MAIS... »

Arqueiro

Tag: Um livro que...

domingo, junho 15, 2014

Olá pessoal! Desculpem pela demora nos posts, mas como eu já disse antes, nossa semana está muito corrida, aí fica difícil de postar aqui, mas nem por isso vamos desistir, okay?
Eu não sei se eu já falei por aqui que adoro tags literárias, então hoje vim fazer mais uma hehe! :D
Essa tag eu vi no blog Estante da Ale, adorei, então aqui estou eu... São 10 perguntas que começam com "um livro que..." e eu tenho que responder um livro para cada pergunta (como eu fiz uma tag a alguns dias atrás, vou tentar não repetir os mesmos livros). Então vamos lá!





1- Um livro que te emocionou muito...


Eleanor & Park. Quem leu sabe o porquê, quem não leu deve ler porque é incrível!!! Chorei MUITO com esse livro, me tocou o coração. Em breve, resenha dele no blog <3







2- Um livro que queria muito ler, mas descobriu que não era tudo aquilo que pensava...

Cidades de Papel... Estava louca para ler esse livro, e depois que li, me decepcionei um pouco. O livro é bom sim, mas não é lá essas mil maravilhas. Poderia ter sido melhor... (Resenha aqui)








3- Um livro que achava que não ia gostar e se surpreendeu...

Deus é meu camarada. Ganhei esse livro do meu pai, achando que era um livro que ficava pregando sobre Deus, dizendo coisas sobre religião e tal, mas na hora que terminei, descobri que estava apaixonada! Um livro incrível! Praticamente um dos meus favoritos! (Resenha aqui)







4- Um livro que já tem a muito tempo na sua estante e nunca leu...

Memórias póstumas de Brás Cubas. Não tenho uma experiência muito boa com livros brasileiros (por causa do colégio, só mandando ler livros chatos). Talvez seja por isso, ou talvez seja porque um dia eu comecei a ler e achei muito parado (aí descobri que essa é uma característica do Machado de Assis), mas minha vontade de ler ele vai sempre se adiando... Eu ainda o lerei (essa frase está certa?), só não sei quando.






5- Um livro que te passou uma lição de vida...

"Quem é você, Alasca?", é um dos melhores livros que eu já li. É tipo, fantástico! Eu até citaria aqui que tipo de lição ele passa, mas acho que cada um deve tirar sua própria reflexão. A gente consegue tirar uma lição de vida na maioria dos livros que lemos. Para mim, essa é uma característica de leitura. Não só ser uma historinha fútil, mas também nos passar algum aprendizado, por menor que seja... (Resenha aqui)





6- Um livro que te fez suspirar...

Quem nos acompanha no Instagram, viu que há alguns dias atrás eu disse que AMO o David Levithan, porque ele escreve obras maravilhosas! Uma dessas obras é Todo Dia, que me tirou suspiros, lágrimas, sorrisos, me deixou surpresa e apaixonada! Um dos melhores livros que eu já li. (Resenha aqui).









7- Um livro que você ainda não tem e quer muito ler...

Eu quero muito ler a saga Hush Hush. Amo romances, amo anjos, e essa combinação me cativa. Não li nem a sinopse ainda, só sei isso mesmo. Mas eu quero ler porque sei lá, eu quero ler hehe. Parece ser bom.







8- Um livro que de tão bom era difícil parar de ler...

O livro Os 13 porquês, devorei em menos de 24 horas. É simplesmente incrível, lindo, perfeito, adorável, impactante, magnífico, esplêndido, fod*.  Todo mundo deve ler um dia. (Resenha aqui)








9- Um livro que não é muito seu estilo, mas tem vontade de ler...

Anjos e Demônios! Eu não curto muito livro de mistério e tal, porém quando assisti o filme, adorei e senti vontade de ler. A Maria diz que é ótimo, então deve ser mesmo. (Resenha aqui)








O Começo de Tudo

10- Um livro que indica...

Ok, eu sei que eu disse que não ia repetir livros, mas eu tenho que falar desse! O Começo de Tudo, é um livro incrível, que eu amei! Ele nos mostra que sempre enfrentaremos tragédias, mas nem sempre temos a obrigação de desistir. É um livro surpreendente, e incrível, vale a pena ser lido! (Resenha aqui)






Bom pessoal, então é isso! Espero que tenham gostado, e deixem nos comentários a opinião de vocês, e qualquer outra coisa. E continuem nos acompanhando! Beijos boa semana!
LEIA MAIS... »

Marcador

Meus marcadores ♥ (Maria Alice)

quarta-feira, junho 11, 2014

Bem, eu queria postar algo diferente hoje, então resolvi mostrar e escrever sobre os meus marcadores. Não tenho muitos, e alguns eu mesma que fiz (que não são lá essas coisas, mas eu gosto deles mesmo assim).


Vou falar um pouco sobre os meus preferidos, apenas:


Essas duas fofuras eu peguei alguns dias atrás na livraria Curitiba, que tava em clima do dia dos namorados. Além de engraçados, os desenhos são lindos Me apaixonei por eles na hora e guardei na bolsa sem titubear.

Esses três, além de serem bonitinhos, me fizeram ficar com vontade de ler os livros a que se referem, que por sinal eu não conhecia. Por esse mesmo motivo eu também os odeio um pouquinho, mas bem pouco mesmo, porque eu tive que adicionar essas obras à minha wishlist, que já tá grande o bastante pra uma pessoa que ainda tem mil livros na estante pra ler. (Eu).

Ah, como eu amo esses dois ♥ Ainda não superei o fato de eu não ter o marcador de Divergente, mas tudo bem. Esses são meus amores pra toda a vida. Eu amo os livros, as capas, a escritora, enfim, tudo! Quando ganhei um deles (o de Convergente) da minha amiga, já fiquei feliz. Quando vi o de Insurgente então, nossa, pirei. Literalmente. Acho que se um dia eu os amassar sem querer eu entro em depressão.

Bem, preciso falar alguma coisa desses aí? O primeiro tá meio velho, mas o amo mesmo assim. Já o segundo... Acho que dá pra perceber que fui eu mesma que fiz, né? Ficou bem estranho, mas o significado do desenho é o bastante pra eu não ter jogado ele fora. Além do mais, sou apaixonada por TFIOS.


 Eu peguei esses dois na livraria em maio. As frases (que não dá pra ler na foto) e tudo o mais do design dos marcadores é dedicado às mães, mas como sou uma pessoa muito legal, guardei-os pra mim, hehe. Achei uma graça.


E por fim, meu xodós
Eu os ganhei em uma viagem, quando comprei um livro em um sebo. Atrás tem as seguintes frases: 
"Sempre imaginei que o paraíso fosse uma espécie de livraria."
e
"A leitura de um bom livro é um diálogo incessante: o livro fala e a alma responde."
Preciso dizer mais? Sou simplesmente apaixonada por eles.



Enfim, é isso.
Espero que tenham gostado, um beijo grande pra vocês!
Tchau 
LEIA MAIS... »

Arqueiro

Tag: Palavras Cruzadas

domingo, junho 08, 2014

Olá leitores! Hoje eu trago pra vocês a tag literária "Palavras Cruzadas", que eu vi no blog Viagem Literária. Eu gosto de fazer tags, é um jeito legal de indicar novos livros, sem aquela monotonia da resenha.. Essa tag são 15 perguntas, e pelo que eu entendi, tenho que responder um livro pra cada pergunta, então vamos tentar hehe!


1- Vox Populi (um livro que recomendaria para todo mundo).
Para Tão Longo Amor, eu acho. É um livro tão fofo, gente <3 Qualquer dia eu resenho aqui, é muito lindo!

2- Maldito plágio (um livro que gostaria de ter escrito).
Eu gostaria de ter escrito A Culpa é das Estrelas, para ser famosa e rica hahaha. Porque se eu fosse rica, eu poderia comprar todos os livros que eu quisesse <3 John Green deve estar milionário com toda a fama desse livro...

3- Não vale a pena derrubar árvores por causa disso (um livro que não deveria ter sido escrito).
Não me matem, mas eu realmente não gostei do Guia do Mochileiro das Galáxias. Gostei do quarto livro e do quinto, mas os três primeiros, realmente... Vamos salvar as árvores!

4- Não é você, sou eu (um livro bom lido na hora errada).
Harry Potter. Eu li numa época que eu era forçada a ler para fazer "ficha literária" na escola, então eu não curtia muito ler. Demorei um ano para ler o primeiro livro, que tem o quê? 250 páginas? Que vergonha haha. Porém, pretendo comprar a série essa semana e ler direitinho porque agora ler é minha vida <3

5- Eu tentei... (um livro que tentou ler mas não conseguiu).
Melancia. Parei na página 58 e não consigo terminar, achei muito repetitivo e melancólico. Eu li a sinopse antes de comprá-lo, me interessei mas na hora de ler... puf, horrível.


 6- Hã? (um livro que leu e não entendeu nada ou um livro que teve um final surpreendente).
Vou escolher a opção do final surpreendente, porque nossa, esse livro realmente me surpreendeu. O Começo de Tudo é um livro incrível que me surpreendeu MUITO. Tipo, eu nunca esperaria aquele final. Quem quiser ler minha resenha, clique aqui.

7- É tão bom, não foi? (um livro que devorou).
Com certeza absoluta, Lola e o Garoto da Casa ao Lado. Comprei em uma viagem e assim que cheguei em casa, devorei-o. Li em menos de 24 horas. Amei e reli de novo. Em breve (ou não), lerei de novo porque esse livro é o meu favorito dos favoritos. Amo de paixão. (Resenha aqui).

8- Entre livro e tachos (uma personagem que gostaria que cozinhasse para você).
Peeta, de Jogos Vorazes, porque né, ele é padeiro <3

9- Fast Forward (um livro que podia ter menos páginas que não se perdia nada).
Acho que o livro Por Isso a Gente Acabou deveria ser filtrado. Tem muita coisa, que às vezes são inúteis (tem alguns parágrafos que tem duas páginas, com muita enrolação). Porém, nem por isso o livro deixa de ser bom.

10- Às cegas (um livro que escolheria só por causa do título).
Eu tive que procurar na internet algum livro que me chamasse atenção pelo nome, aí eu vi (e lembrei) que já encontrei o livro Como Dizer Adeus em Robô na livraria, e quis comprar por causa do nome. Nem sei do que se trata, mas o nome me chamou a atenção. Quem sabe, se um dia que eu tiver dinheiro sobrando, eu compre...




11- O que conta é o interior (um livro bom com uma capa feia). 
Seis Coisas Impossíveis. Não que a capa seja horrorosa, mas ela tem muita informação, muitos desenhos, mas o livro em si é bom <3

12- Rir é o melhor remédio (um livro que tenha feito você rir).
Faça Seu Pedido é um livro hilário, muito divertido, pelas situações em que a protagonista se mete. Muito bom hahaha. (Resenha aqui)

13- Tragam-me os Kleenex, por favor (um livro que tenha feito você chorar).
Estava em dúvida entre dois livros, mas aí lembrei do "A Esperança" e como eu chorei igual um bebê quando acabou.

14- Este livro tem um V de Volta (um livro que não emprestaria a ninguém).
A Imperatriz dos Etéreos. Demorei dois anos para conseguir comprá-lo e vai que eu empresto e não volta mais para mim. Não empresto nem para minha mãe hehe.

15- Espera aí que eu já te atendo (um livro ou autor que está constantemente a adiar).
Um livro que eu tenho que ler (porque comprei) é Morte Súbita. Mas eu sempre adio, não tenho vontade de ler. Ou tenho? Não sei. Mais pra frente eu vejo. Hehe.

LEIA MAIS... »

Book trailer

[Book trailer] Extraordinário

sexta-feira, junho 06, 2014

Bem, resolvi postar um book trailer hoje. É de Extraordinário, de R. J. Palacio, um dos meus livros preferidos.
Espero que gostem 




Pra quem ainda não conhece a história é ótimo, dá pra ter uma noção boa do enredo e da base dele.
Por hoje é só galera, beijos e tchau!
LEIA MAIS... »

Natália

[Resenha] O Começo de Tudo

quarta-feira, junho 04, 2014

O Começo de Tudo, de Robyn Scheneider, publicado pela editora Novo Conceito, com 288 páginas.




"Na vida de todos, não importa quão comum seja, existe um momento que se tornará extraordinário - um único embate após o qual tudo o que realmente é importante vai acontecer."


O garoto de ouro Ezra Faulkner acredita que todo mundo tem uma tragédia esperando ali na esquina – um encontro fatal depois do qual tudo o que realmente importa vai acontecer. Sua tragédia particular esperou até que ele estivesse preparado para perder tudo de uma vez: em uma noite espetacular, um motorista imprudente acabou com a perna de Ezra, com sua carreira no esporte e com sua vida social. Depois que perdeu o favoritismo ao posto de rei do baile, Ezra agora almoça na mesa dos losers, onde conhece Cassidy Thorpe. Cassidy é diferente de qualquer pessoa que Ezra tenha encontrado antes – melancólica e com uma inteligência mordaz. Juntos, Ezra e Cassidy descobrem flash mobs, tesouros enterrados e um poodle que talvez seja a reencarnação do Grande Gatsby. À medida que Ezra mergulha nos novos estudos, nas novas amizades e no novo amor, aprende que algumas pessoas, assim como os livros, são difíceis de interpretar. Agora, ele precisa considerar: se uma tragédia já o atingiu, o que poderá acontecer se houver mais infortúnios?




Esse livro é tão incrível que nem sei por onde começar. 
A primeira coisa que me chamou atenção foi a capa, com uma cor vibrante e viva. A segunda coisa, foi o cheiro maravilhoso de livro novo (o que acontece com quase todos os livros que eu compro). A terceira coisa foi o enredo, que me conquistou completamente e me fez comprá-lo e amá-lo e até derramar umas lagriminhas.

Conta a história de Ezra, um tenista popular da escola, que acredita que todo mundo - sem exceções - tem uma tragédia na vida, que vai mudar o rumo de tudo. Depois que um acidente prejudica a perna de Ezra, impossibilitando-o a continuar com sua carreira no esporte, ele perde sua popularidade e passa a almoçar na mesa dos "perdedores", onde conhece Cassidy, uma garota diferente e incrível. Aí eles se tornam amigos e se apaixonam (não é spoiler, está escrito na quarta capa). O resto você terá que ler pra descobrir hehe.

O Começo de Tudo, é narrado em primeira pessoa (por Ezra), o que SEMPRE nos dá a impressão de estar vivendo a história e sentir tudo que o protagonista sente. É um livro doce, inteligente, sensível, e inesquecível. A autora, Robyn Scheneider, conseguiu montar um enredo extraordinário, surpreendente (daqueles que você se sente abalado por não ter percebido algo desde o começo), e profundamente apaixonante. Desculpem-me por elogiá-lo tanto, mas ele é tão bom que se tornou um dos meus favoritos e eu espero que se torne de vocês também  
Outra coisa que achei INCRÍVEL é a frase da capa: "Quando o chão é tirado de nossos pés, nem sempre temos a opção de cair" que trás bem essa questão de achar que é o fim quando encontramos alguma dificuldade - ou alguma tragédia, como diz Ezra Faulkner. 
Sou completamente apaixonada por livros que nos passam uma lição, um aprendizado, um questionamento, ou algo novo - não que é só uma historinha bonitinha (apesar de também ler esse tipo). Acho que essa leitura que causa um impacto na gente tem muito mais valor. Além de levarmos esse livro na estante, o levamos no coração...
LEIA MAIS... »

Ediouro

[Resenha] Marley & Eu

segunda-feira, junho 02, 2014

Marley & Eu, de John Grogan, publicado pela Ediouro, com 302 páginas.


“Te amo apesar de tudo, ou talvez por causa de tudo.”


John e Jenny tinham acabado de se casar. Eles eram jovens e apaixonados, vivendo em uma pequena e perfeita casa, sem nenhuma preocupação. Jenny queria testar seu talento materno antes de enveredar pelo caminho da gravidez. Ela temia não ter vindo com esse dom no DNA, justamente porque matara uma planta, presente do marido, por excesso de cuidado - afogando-a. Então, eles decidiram ter um mascote. Vão a uma fazenda, escolhem Marley, ao tomar contato com uma ninhada, porque também ficam encantados com a doçura da mãe, Lily; depois têm uma rápida visão do pai, Sammy Boy, um cão rabugento, mal-encarado e bagunceiro. Rezam para que Marley tenha puxado à mãe, porém suas preces não são atendidas. A vida daquela família nunca mais seria a mesma. Marley rapidamente cresceu e se tornou um gigantesco e atrapalhado labrador de 44 kg, um cão como nenhum outro. Ele arrebentava portas por medo de trovões, rompia paredes de compensado, babava nas visitas, apanhava roupas de varais vizinhos e comia praticamente tudo que via pela frente, incluindo tecidos de sofás e jóias. As escolas de adestramento não funcionaram - Marley foi expulso por ter ridicularizado a treinadora. Mas, acima de tudo, o coração de Marley era puro. Marley repartia o contentamento do casal em sua primeira gravidez e sua decepção quando sobreveio o aborto. Ele estava lá quando os bebês finalmente chegaram e quando os gritos de uma adolescente de dezessete anos cortaram a noite ao ser esfaqueada. Marley fechou uma praia pública e conseguiu arranjar um papel num filme de longa-metragem, sempre conquistando corações ao mesmo tempo em que bagunçava a vida de todo mundo. Por todo esse tempo, ele continuou firme, um modelo de devoção, mesmo quando sua família estava quase enlouquecendo. Assim, eles aprenderam que o amor incondicional pode vir de várias maneiras.



Não sei por que resolvi resenhar esse livro, sendo que choro só de pensar nele, mas vamos lá:
Sei que muitos já conhecem o filme, que é, na minha opinião, uma das melhores adaptações cinematográficas de livros que existem no mundo. Mas, mesmo assim, o livro traz mais emoção, e com certeza provoca um dilúvio toda vez que alguém, em algum lugar desse planeta, termina de lê-lo.
Em primeiro lugar, John Grogan narra a história com tanto afeto pelo Marley que é quase impossível não se apaixonar pelo cão. Na verdade, você se apega a ele só de olhar a capa.
Durante a leitura eu ri, chorei, ri de novo, reli alguns capítulos, e quando terminei eu fiquei tão "o que eu vou fazer da minha vida agora?" que se não me engano eu fiquei mais de duas semanas sem pegar outro livro pra ler.
Bem... Só lendo pra entender o que eu senti quando eu li essa história.

Recomendo a todas as pessoas que buscam por um enredo que proporciona todos os tipos de emoções possíveis. E, aproveitando pra citar uma frase que eu vi em uma revista antes de conhecer verdadeiramente essa obra:
"Marley & Eu não é apenas um livro, é também uma nova experiência de vida."
LEIA MAIS... »