[Resenha] Prometo Falhar

segunda-feira, agosto 24, 2015

Título: Prometo Falhar
Autora: Pedro Chagas Freitas
Editora: Novo Conceito 
Ano: 2015
Páginas: 400
Nota: 



"É tão mais fácil não amar. Mas que merda andamos fazendo aqui se não amarmos?"


Não sei nem como começar essa resenha, é difícil falar de um livro tão maravilhoso...
Há algum tempo, a editora Novo Conceito mandou um "livreto" com duas partes de livros: Eu te darei o sol, e Prometo Falhar. Comecei a ler e na segunda crônica eu já estava apaixonada por esse português! Até parei de ler o folheto porque eu queria aguardar a chegada desse livro, e meu Deus, como é maravilhoso!
Pedro Freitas tem cerca de vinte publicações e já quero todas no português (ele é de Portugal, então elas já estão em português haha nesse caso, quero no Brasil) porque ele é excelente.
Nesse livro, há crônicas sobre a vida e o amor. Sobre todo o tipo de amor. Amor, simples assim. E Freitas faz isso de uma forma que nunca vi ninguém fazer, acho que também ninguém ousaria - e se ousasse, duvido muito que seria melhor que esse incrível escritor.
"(...) há só uma vida e és tão inacabável em mim."
Ele escreve cenas de uma forma deslumbrante - realmente são cenas: não há marcações de capítulos, divisão de crônicas Tudo é bem simples e isso também nos cativa. Confesso que ainda não terminei de ler o livro... estou lendo as crônicas aos poucos pois tentei ler tudo de uma vez, mas como os contos são soltos, um acabava emendando no outro e eu acaba confundindo tudo. Ler um por vez, com calma antes de dormir é a melhor parte do meu dia. E mesmo assim, sem acabar, precisava dividir esse preciosidade com outras pessoas.
Há histórias de amor de pai, de mãe, de pessoas que se machucaram, se perderam, se amam, que se encontram e que falham. Tenho certeza que você, leitor, já viveu, vive ou viverá algum tipo de amor, portanto esse livro cabe a qualquer um. 
O autor fala dessas formas de amor, desse amor perfeito-imperfeito com tanta magnitude, que quem não está amando sente vontade de amar, sente vontade de sentir tudo do que Pedro nos diz, porque ele nos conta o amor verdadeiro e puro, tecido de uma forma indescritível, retalhos de vidas, de pessoas e de momentos inesquecíveis. E ah, eu sinto toda essa enormidade, toda essa paixão e a vontade que eu tenho é de amar sempre mais e mais, o que muitas vezes acho que estou conseguindo.
O livro nos faz refletir, amar, e marcar quase todas as páginas com frases incríveis, e essa linguagem de "prosa poética" de Pedro Chagas não deixa a desejar, pois apesar de ser textos bem construídos (melhores escritos que todas as minhas resenhas insignificantes juntas), são textos leves, fluídos e apaixonantes,
Gostaria muito de poder vê-lo na Bienal do RJ esse ano e marcar um café, pra ele me falar mais de amor, e me contar (e talvez até mostrar fotos) quem é essa sortuda dessa Bárbara. Mas já que nada disso será possível, só me resta voltar a ler mais crônicas antes de dormir!

Beijos, e até a próxima!

"Foda-se, que é tão bom te amar assim, como se me faltasse o ar quando você me falta e ainda me faltasse mais o ar quando te tenho."

You Might Also Like

4 carinhos.

  1. Instigante e apaixonante pela simples descrição. Como. Deve ser com ele perto dos olhos e do coração? Espero le-lo quando chegar ao Brasil
    Graça De Souza Feijó

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando você ler, me conte o que achou!!

      Beijos!

      Excluir
  2. Ah, que legal!!!
    Eu vi essa capa no Instagram e fiquei me perguntando como seria a história... E é crônica? Que legal, ainda não li nenhum livro assim, mas me interessei muito por esse, tanto pela capa, quanto pelo título e ainda mais por essas citações.

    Beijos!

    http://tordodemorango.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahah que bom que você se interessou! Há muito mais citações incríveis em cada página do livro, da vontade de grifá-lo inteiro hehe

      Beijos!

      Excluir

Deixe um comentário, ele é importante pra nós. Mas primeiro, leia o post, por favor!

Obrigada!