[Resenha] Divergente

quarta-feira, março 26, 2014

Divergente, de Veronica Roth, publicado pela editora Rocco Jovens Leitores, com 500 páginas.



"Quando termino de me vestir e a vontade de chorar passa, sinto algo quente e violento remoendo minhas entranhas. Quero machucá-los. Encaro meus olhos no espelho. Eu quero machucá-los, e é exatamente isso que eu vou fazer."



Em uma cidade futurista, a sociedade divide-se em cinco facções dedicadas ao cultivo de uma virtude - a Abnegação, a Amizade, a Audácia, a Franqueza e a Erudição. Aos dezesseis anos, em uma grande cerimônia de iniciação, os jovens são submetidos a um teste de aptidão e devem escolher a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas. Para Beatrice, a difícil decisão é entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é ­­­– não pode ter os dois. Então faz uma escolha que surpreende a todas, inclusive ela mesma.

Durante a iniciação altamente competitiva que se segue, Beatrice muda seu nome para Tris e esforça-se para decidir quem são realmente seus amigos – e onde se encaixa em sua nova vida um romance com um rapaz fascinante, porém perturbador. Mas Tris também tem um segredo, que mantêm escondido de todos, pois pode significar sua morte. 

Ao descobrir um conflito crescente que ameaça a destruir sua sociedade aparentemente perfeita, ela também aprende que seu segredo pode ajudá-la a salvar aqueles que ama... ou destruí-la.



MEU SANTO BISCOITO! É a sétima vez que eu leio este livro, mas só nesta ultima vez – a sétima, eu li em português e deixa eu resumir essa experiência em uma palavra: EITA. 
Como todos sabem eu AMO a Roth mais do que a mim mesma e Divergente é meu livro favorito da trilogia e toda vez que eu leio eu sinto a mesma coisa que eu senti quando eu li Harry Potter pela primeira vez e foi tão maravilhoso que eu chorei dez vezes. 
A Tris é uma menina tão oprimida pela família e pela sociedade (que impõe regras que ela odeia) mas ela sempre tem um jeito de agir contra isso e é maravilhoso. 
A cerimônia de escolha foi tão tensa porque a Roth prolongou aquele capítulo e parecia que ele não tinha fim então ele ficou indo por meio ano (o que foram, na verdade, 10 páginas) e mesmo que eu sabia o que ia acontecer ainda sim fiquei roendo as unhas e quase puxando meu cabelo porque foi PERFEITO.
Eu tô evitando spoilers mas gente QUANDO ELA PULA NA REDE PRIMEIRO QUE TODO MUNDO EU ME SINTO COMO UMA MÃE. Tão orgulhosa.  
Eu amo a Audácia mais que respirar ar gelado e olha, a Audácia é a melhor facção (na minha humilde opinião). 
O enredo é cheio de detalhes e a Roth fez desse livro uma obra de arte. Os personagens são perfeitos, as cenas são fáceis de ser imaginadas, você cria um mundo na sua cabeça que mesmo estando em conflito, você tem vontade de ir pra lá pra morar.
Divergente é uma jornada emocionante, divertida, cativante, o tipo de livro que você lê em um dia porque você não conseguirá parar.
Ele virou best-seller no segundo mês pós lançamento, então podemos dizer que ele é realmente bom, certo? (risos)
Esse livro é uma ação que faz seu estômago dar uns saltos e uns mortais cravados, mas no final é uma linda história de romance que eu me apaixonei e recomendo pra todo mundo.
Compre um exemplar pra você, para a sua mãe, para o seu pai, para a sua avó, para o seu cachorro, e para todo mundo que você conhece porque é maravilhoso.

You Might Also Like

0 carinhos.

Deixe um comentário, ele é importante pra nós. Mas primeiro, leia o post, por favor!

Obrigada!